Respeito é bom e eu gosto! – O valor do respeito

Lívia Maria Ferreira da Silva, Telma P. Vinha, Cesar Augusto Amaral Nunes , Flávia Maria de Campos Vivaldi e Adriano Moro
Início / Formação / Valores Sociomorais / Respeito é bom e eu gosto! – O valor do respeito

Respeito é bom e eu gosto! – O valor do respeito

Quem nunca proclamou em bom tom: “No meu tempo, alunos respeitavam professores e filhos respeitavam pais”. Certamente, o valor do respeito é inegavelmente necessário às relações entre as pessoas. Sempre foi. Contudo, a queixa atual, principalmente de quem educa, é a de que as crianças e adolescentes de hoje não têm mais respeito. O fato é que as condições que se estabelecem para o fortalecimento desse valor são ambíguas: pretendemos todos os anos, em nossos planos escolares, que nossos alunos sejam autônomos. Mas, ao mesmo tempo, esperamos que esses mesmos alunos nos respeitem por obediência. Ora, se conhecermos a gênese desse valor, saberemos que todo valor é um investimento afetivo, portanto, o respeito é um investimento natural quando a criança é pequena, uma mistura de amor e medo do castigo diante de quem sabe mais: a autoridade. Porém, a construção progressiva de uma personalidade moral sugere que esse mesmo respeito seja investimento de outros sentimentos: amor, admiração e vergonha de decair aos olhos do outro e aos próprios olhos. Altera-se toda a lógica de conseguir que nossos alunos nos respeitem, a pais e professores: é porque somos eleitos como alguém a quem confiar, a quem admirar (porque somos aqueles que permitem escolhas, que permitem a manifestação de sentimentos) que somos respeitados. O fato é que não somos os únicos que merecem o respeito. Meninos e meninas convivem com seus pares e precisam deles para que possam se fortalecer como alguém também de valor. E quando falta o respeito? Um grande problema se instaura na convivência, bem como na identidade de quem se envolve nessa forma sutil de violência: o bullying ou, na esfera virtual, o cyberbullying. Em nome do que nos torna melhores, o desejo desta obra é que saibamos tratar aquilo que nos é mais caro: o respeito à dignidade do ser humano.

ONDE COMPRAR

Escolha o melhor para você
ORGANIZADORESLuciene Regina Paulino Tognetta, Maria Suzana De Stefano Menin
ESCRITORESLuciene Regina Paulino Tognetta, José María Avilés Martínez e Rafael Petta Daud
ISBN978-85-7913-420-3
ANO2017
EDIÇÃO1 ª
Nº PÁGINAS128
FORMATO13x19,5 cm, brochura
COLEÇÃO, ,

VÍDEOS E HISTÓRIAS SOBRE O LIVRO

O que são valores? Onde e quando ocorrem? Todos possuem valores? Da onde eles vêm? Foi com base nessas questões que elaboramos este primeiro livro da coleção sobre valores sociomorais. Ele é uma introdução ao tema na qual, além de conceituarmos de modo amplo o que são valores morais e o exemplificarmos com situações cotidianas, descrevemos uma grande pesquisa que fizemos com cerca de dez mil participantes entre
estudantes do Ensino Fundamental e Médio e professores de educação básica. O objetivo foi saber se e como esses indivíduos e seus grupos aderem aos valores de respeito, solidariedade, justiça e convivência democrática.

Vimos que as pessoas podem ter modos diferentes de aderir aos valores: elas podem ser “egocêntricas”, focando apenas seus pontos de vista; podem ser “sociocêntricas”, focando os outros na medida em que papéis, valores e regras da sociedade os obrigam; ou podem estar acima dessas convenções e limites e considerar todos os outros possíveis em seu mundo presente e futuro. Descrevemos como esses modos de adesão aos valores se modificam conforme os valores que estudamos, certas características dos participantes da pesquisa e a qualidade de suas relações na escola. Trazendo essa discussão para a vida escolar, refletimos sobre a influência dos valores e de seus modos de adesão na construção da autoestima de alunos e de maneiras como professores os tratam. Vimos, também, que situações conflituosas na escola podem refletir incompatibilidades de valores.

LIVROS COLEÇÃO VALORES SOCIOMORAES